NOSSA HISTÓRIA


O Programa de Extensão Biblioteca Ambulante e Literatura nas Escolas - BALE é  vinculado ao Grupo de Estudos e Pesquisas em Planejamento do Processo de Ensino-aprendizagem – GEPPE. Trata-se de uma ação extensionista do Departamento de Educação em parceira com o Departamento de Letras do Campus Avançado “Profª. Maria Elisa de Albuquerque Maia” /CAMEAM, da Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN), Brasil. O Projeto foi Idealizado pelas professoras Maria Lúcia Pessoa Sampaio e Renata de Oliveira Mascarenhas e iniciou suas atividades em 2007, nos bairros São Geraldo e Riacho do Meio em Pau dos Ferros.
O BALE tem por objetivo viabilizar o acesso ao texto literário, bem como outros suportes e gêneros, como também, disseminar o gosto pela leitura, a formação de novos leitores e mediadores de leitura. O BALE está comprometido com uma das regiões mais carentes e de difícil acesso a bens culturais (Sampaio e Mascarenhas, 2007), atendendo ao longo de suas edições à comunidade de Pau dos Ferros - RN.
O BALE em sua 6ª edição expandiu suas atividades para mais dois bairros  (Manoel Domingos e Princesinha), além dos atendidos nas edições passadas e passa a ser Programa de Extensão universitária da UERN. Outro ponto positivo idealizado desde a 3ª edição (2009) foi o atendimento a vinte e um municípios circunvizinhos do Alto Oeste Potiguar, também carentes de entretenimento cultural e na  5ª edição o projeto atendeu, também, em espaços não-escolares. Além do atendimento a cidades circunvizinhas, através da “Bolsa FUNARTE de CIRCULAÇÃO LITERÁRIA em 2011, o BALE culmina seu atendimento em diferentes espaços sociais na cidade de Águas Vermelhas – MG, com o VivaBALE Nordeste - Sudeste: “Conte de lá que eu conto de cá”, realizando mais de três mil atendimentos em uma semana de variadas atividades. O projeto também viabilizou em 2011 o Sub-projeto BALE_Capacitação com o objetivo de angariar recursos para participação de membros e voluntários no IV Fórum Internacional de Pedagogia – IV FIPED, realizado no período de 21 a 25 de Novembro de 2011 na Universidade Nacional Autônoma do México – FES/ACATLAN. O projeto possibilitou a participação de dez integrantes no evento, com publicação de artigos científicos resultante de pesquisas relacionadas ao projeto, bem como a realização de uma oficina. 
Em sua 7ª Edição (2013) o BALE  conquistou 41 bolsas, via FAPERN/CAPES e CNPq, envolvendo alunos de graduação, professores da Educação Básica e estudantes do Ensino Médio por meio do Projeto: Ponto BALE CTI - EB, para tanto criou dois grupos na rede social facebook, denominados: "escrita de si: entre canteiros da leitura e produção", os quais atuaram com equipes da XIV e XI DIRED. 
Na 8ª Edição (2014) o BALE se estendeu a outros municípios, atendendo assim a cidades como Frutuoso Gomes, Patu, Umarizal e São Miguel, além de Pau dos Ferros, consolidando, assim três Equipes de trabalho de incentivo á leitura, por meio das várias artes. Uma quarta Equipe formada por leitores mirins tomaram conta do palco do BALE e numa parceria que vem dando certo desde 2007 com a E. E. João Escolástico, dessa feita a Bibliotecária da Escola, a Profa Maria Auxiliadora Rêgo que assume um grupo de crianças contadoras de história e leva a frente um trabalho promissor, junto ao BALE. Nesse mesmo ano o BALE ministrou oficinas em parceria com o Projeto Casa das Palavras em  Pau dos Ferros e Assu, como também para professores em Angola.
Em 2015, em sua 9ª Edição, o BALE inicia os seus trabalhos com cinco Equipes, funcionando em seis cidades do RN, a saber: Equipe do BALE/PAUFERRENSE e BALE/MIRIN (Pau dos Ferros), Equipe do BALE/FRUP (Frutuoso Gomes, Umarizal e Patu), Equipe do BALE/MIKAELENSE (São Miguel) e Equipe do BALE/PORTALEGRENSE (Portalegre).
O Programa disponibiliza de um riquíssimo acervo bibliográfico com livros infantis e adultos de gêneros distintos, sendo determinado pelo Ministério da Cultura (Minc) como “Ponto de Leitura – Edição Machado de Assis”. Iniciativas como está engrandecem ainda mais o BALE que vem ganhado destaque por meio de Prêmios Nacionais, como o “Troféu Viva a Leitura” (2008) e a “Bolsa FUNARTE de Circulação Literária” (MinC), os quais tem contribuído para a credibilidade do Programa no meio acadêmico e social.
 



          
         
        
         


  • Digg
  • Del.icio.us
  • StumbleUpon
  • Reddit
  • RSS
// Inicio Estrelinhas // Fim Estrelinhas